Validação externa de um kit protótipo do teste de aglutinação direta para diagnóstico da Leishmaniose Visceral vence categoria mestrado do Prêmio Jovem Pesquisador 2016

Publicação: 4 de outubro de 2016

Objetivo principal da pesquisa é o desenvolvimento de um protótipo de kit do teste de aglutinação direta para o diagnóstico da LVH

O DAT-LPC é um teste de fácil execução e interpretação, com ótimo desempenho e baixo custo, permitindo um diagnóstico para LVH mais assertivo

Em sua terceira edição, o Prêmio Jovem Pesquisador 2016 trouxe novidades. Os trabalhos, que antes concorriam todos juntos, foram divididos em quatro categorias: graduação, mestrado, doutorado e pós-doutorado. Ao todo, foram 12 premiações, sendo três em cada categoria. Durante a cerimônia de abertura, os vencedores receberam R$ 1 mil e os segundos e terceiros colocados foram agraciados com menções honrosas.

Na Categoria Mestrado, a vencedora foi Diana Souza de Oliveira, com o trabalho “Validação externa de um kit protótipo do teste de aglutinação direta (DAT-LPC) para diagnóstico da leishmaniose visceral”. A pesquisa tem por objetivo produzir dados de desempenho do teste e comprovar sua potencialidade em diagnosticar casos de Leishmaniose Visceral Humano (LVH) em laboratórios públicos de diferentes cenários.

“O meu trabalho faz parte de um projeto de desenvolvimento tecnológico financiado pelo Programa de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação para o SUS (PDTIS- FIOCRUZ), que tem como objetivo principal o desenvolvimento de um protótipo de kit do teste de aglutinação direta (DAT) para o diagnóstico da leishmaniose visceral humana (LVH). Dentro deste contexto, o protótipo denominado DAT-LPC vem sendo desenvolvido e aprimorado há anos e tinha sido validado internamente. O objetivo do meu trabalho foi realizar sua validação externa em laboratórios de instituições públicas, explica Diana.

Considerando estudos prévios sobre o DAT, o grupo de pesquisa padronizou e aprimorou o teste usando o parasito circulante no Brasil (DAT-LPC). Neste trabalho, foi avaliada a validade externa (sensibilidade e especificidade) e a reprodutibilidade interlaboratorial, para verificar sua aplicação na rotina do diagnóstico da LVH.

De acordo com a vencedora do Prêmio Jovem Pesquisador 2016, o DAT-LPC é um teste de fácil execução e interpretação, com ótimo desempenho e baixo custo, permitindo um diagnóstico para LVH mais assertivo. Devido suas características, torna-se promissor para ser utilizados em situações remotas, descentralizando e facilitando o acesso ao diagnóstico da LVH. “Neste estudo, em que foi realizada a validação externa do protótipo, contamos com a colaboração de nove pesquisadores (Ana Rabello; Fernanda Alvarenga Cardoso; José Ronaldo Barbosa; Andreza Pain Marcelino; Lilian Fernandes; Denise Duque; Tatiane Dutra; Tayrine Araújo; Edward Oliveira)”, assinala ao complementar que a realização da validação externa iniciou em 2014 e estão finalizando este ano as análises estatísticas e os resultados deverão ser publicados brevemente.

O estudo foi realizado no Centro de Pesquisa René Rachou, Laboratório Municipal de Ribeirão das Neves, Serviço de Doenças Parasitárias da Fundação Ezequiel Dias e Laboratório do Hospital Eduardo de Menezes.

 

 …