SBMT participada da reunião do GT-saúde da Transição de Governo

Publicação: 24 de November de 2022

Entre os assuntos da pauta do Grupo de Transição da Saúde com o presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva estavam Covid e vacinas

No final da reunião, o presidente Lula reconheceu o aprendizado que teve e mais uma vez deixou claro o seu compromisso com a ciência e com a saúde

O presidente da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical (SBMT), Dr. Julio Croda, participou na manhã desta quinta-feira (24/11) da reunião do Grupo Técnico de Saúde do Gabinete de Transição Governamental sobre o Programa Nacional de Imunização (PNI) e a pandemia de covid-19. Também participaram o vice-presidente da SBMT, Dr. Guilherme Werneck, Dr. André Siqueira, Dra. Marcia Hueb, Dra. Alda Cruz e Dr. Pedro Vasconcelos, membros da atual diretoria da SBMT. O objetivo da reunião foi receber dos especialistas convidados diagnósticos e propostas sobre o tema. A reunião contou com a participação do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva e diversas sociedades médicas e científicas brasileiras, além de representantes de universidades e Conselhos de Saúde. A maioria dos membros do grupo técnico de transição da saúde também esteve presente, incluindo quatro ex-ministros da Saúde.

O Dr. Croda assinalou a relevância do debate. “O presidente Lula em sua fala na abertura pediu o nosso apoio com ideias, inovações e sugestões. Ouvi diversas propostas de como o Brasil pode melhorar as taxas de cobertura vacinal e o presidente ressaltou que aumentar essas taxas é prioridade. Ele também enfatizou a importância de melhorar o acesso da população desassistida aos serviços de saúde”, destacou.

Entre as contribuições sugeridas na reunião foram propostas a realização de uma grande campanha contra a desinformação sobre vacinas; repensar como os agentes comunitários de saúde (ACS) podem melhor ajudar; o compromisso com a diminuição das filas; mobilizar escolas e religiões; ampliação do Núcleo de Epidemiologia e Vigilância em Saúde (NEVS) em todo o território nacional; investir nos sistemas de informação, que atualmente está com mais de 30 milhões de registros perdidos; pesquisa de impacto da Covid-19 nas famílias brasileiras, percentual de crianças que se vacinaram e estudo detalhado de mortes evitáveis; atestar a qualidades das escolas de medicina e testar os egressos; restabelecimento da equipe técnica no nível central do PNI e estabelecimento de Comitês Técnicos Assessores; inventário dos estoques e disponibilidade de vacinas; iniciar 2023 com a constituição do Comitê Técnico Assessor de Imunização (CTAI) e Comitê Técnico Assessor de Emergência em Saúde Pública para apoiar a resposta da Covid-19, Monkeypox, Poliomielite e sarampo; retomar a comunicação de risco do Ministério da Saúde com coletivas técnicas para recuperar o protagonismo da pasta, retomar a ativação e gestão do Centro de Operações de Emergência para gerenciar as ações de modo unificado no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS) com setores internos e externos; retomar as reuniões do Grupo Executivo Interministerial; estabelecer estratégia de enfrentamento à Síndrome da Zika Congênita; abastecimento de insumos estratégicos, testes para Covid-19, quantitativo de vacinas para Covid e outras doenças; prioridade para o Sistema de informação que está com informatização precária, instabilidade e baixa qualidade dos equipamentos; utilização da infraestrutura tecnológica para desenvolver testes, vacinas e medicamentos para doenças tropicais; envolver mais a Atenção Básica e Rede de urgência para diagnóstico etiológico; desenvolver a autonomia de produção e disponibilização de vacinas; repensar a importação dos insumos farmacêuticos ativos (IFA) e investir na produção local destes, e no desenvolvimento de novos testes diagnósticos, medicamentos e vacinas para as doenças tropicais no Brasil, entre outros.

O Dr. Croda se diz honrado em fazer parte do grupo e ter participado deste momento que marca melhores pensamentos para o futuro do Brasil, com iniciativas que valorizam a saúde, a ciência, pesquisa e desenvolvimento (P&D). “A SBMT, que ao longo de seus 60 anos tem mantido um compromisso técnico-político de apoiar os órgãos públicos e Sociedade Civil Organizada envolvidos no enfrentamento e controle de doenças tropicais, infecciosas e parasitárias, em várias frentes de apoio, respeitando as diretrizes do SUS, promover e incentivar estudos e pesquisas relativos à Medicina Tropical, reafirma seu compromisso em prol da saúde pública e a disponibilidade da comunidade de tropicalistas para atuar, ao lado do Governo Federal e do Ministério da Saúde”, complementa. O presidente Lula participou de toda a reunião e, ao final, mais uma vez deixou claro o seu compromisso com a ciência e com a saúde brasileira