Obituário: Almério de Castro Gomes (*1942 †2012)

Publicação: 9 de maio de 2012

Dr-almerio-de-Castro-Gomes

Natural do Piauí, Almério de Castro Gomes graduou-se em Farmácia e Bioquímica pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1969). No início da década de 70 mudou-se para São Paulo, onde constituiu família: esposa (Sonia), filha (Mariana) e filho (Frederico). Seu destino o levou a estabelecer contato com a Faculdade de Saúde Pública da USP. Nessa Escola formou-se em Entomologia Epidemiológica (1972) e Especialização em Saúde Pública (1975).

Incorporou-se à equipe de Entomologia Médica sob a liderança do Prof. Oswaldo Paulo Forattini, tornando-se docente da FSP a partir de 1977. Impulsionado pelo experiente Mestre, aqui desenvolveu toda sua carreira acadêmica ao conquistar os títulos de Mestre (1975), de Doutor (1979) e de Livre-Docência (1985). Em 1992 chegou ao patamar de sua carreira ao adquirir o vínculo de Professor Titular.

Suas teses versaram sobre a ecologia dos vetores dos agentes das leishmanioses e sobre a epidemiologia desse conjunto de doenças. Vencidas as etapas acadêmicas, em decorrência do agravamento da dengue no país, abraçou com todo o empenho o estudo do mosquito Aedes aegypti e sua vigilância – esforço que gerou inúmeras publicações. Sobre esse tema, convidado como colaborador do Ministério da Saúde, trouxe vasta contribuição na luta contra a dengue.

Foram inúmeras as vezes em que fora a Brasília para opinar sobre as estratégias a serem tomadas na prevenção de epidemias e no alastramento do vetor pelo vasto território do país. Nesse sentido, ao viajar de Estado a Estado, não mediu esforços ao participar efetivamente no aperfeiçoamento do sistema nacional de vigilância do vetor, proferindo palestras e cursos.

Nessas oportunidades, ensinava sempre alternativas inteligentes e inovadoras, baseadas em indicadores, para o monitoramento e a vigilância do vetor. Suas aulas eram empolgadas, ocasiões em que instigava seus ouvintes a vencer os desafios. Na FSP participou ativamente na docência, nas inúmeras aulas dos cursos de especialização e de pós-graduação. Formou mestres e doutores, que hoje ocupam destacados postos nas academias de ensino ou no Serviço.

Sua vida científica foi profícua, contanto com 92 artigos completos publicados em periódicos e 52 trabalhos divulgados em encontros científicos. Além dos itens citados, contribuiu com produções técnicas, participações em bancas, palestras, conferências, entre outros. Orientou 16 mestrados e oito doutorados.

Na vertente administrativa, foi por duas vezes chefe do Departamento de Epidemiologia, deixando feitos permanentes na reforma e modernização de laboratórios. As referências às suas realizações, citadas nessas linhas, refletem apenas uma faceta da vida do Professor. Muito além de sua produção acadêmico-científica guardava em seu interior uma essência que refletia sua personalidade.

Dedicado ao extremo às suas responsabilidades, nunca mediu esforços a realizar com perfeição os desafios que abraçava. Os trabalhos de campo lhe empolgavam. Foram incontáveis as viagens que empreendera pelas áreas mais remotas do Brasil para cumprir suas pesquisas. Nessas empreitadas, passava noites e noites ao relento ao coletar, medir e recolher preciosos dados para a compreensão da ecologia de seus insetos.

Conheceu o Brasil, vivenciou suas distintas realidades. Enfático, advertia sempre os Serviços quanto às alternativas de controle que identificava como promissoras a partir de seus estudos. Em sua sala, sempre sorridente, sua marca natural, em meio aos livros e separatas, estava sempre a redigir algum documento ou a aperfeiçoar a escrita para uma nova publicação.

Nem por isso deixava de desprender atenção a quem necessitava de alguma orientação. Procurado constantemente por jornalistas, foi um interlocutor entre a ciência e o público ao lançar suas ideias em inúmeras entrevistas nos jornais e na televisão. Um sanitarista exemplar!

Parabéns Prof. Almério. Você será sempre uma referência!

“Perdemos um grande amigo e que por varias vezes colaborou no Ceará. Frequentador assíduo de nossos congressos da SBMT. Lamentamos muito”.Luciano Pamplona

“Almerio, que foi um grande militante do nosso campo, nos deixa o nobre legado do entusiasmo no estudo sobre os vetores de importantes endemias como leishmanioses e dengue, com várias contribuições sobre epidemiologia destas e de outras doenças endêmicas, alem de sua afetuosa amizade com todos colegas com quem conviveu”.Sinval Pinto Brandão Filho

“Lamento muito o falecimento precoce do Almério. Sou testemunha de sua humildade e do seu entusiasmo científico na busca de meios mais eficazes de controle de doenças transmitidas por vetores. Além de um emérito pesquisador, deixo de conviver com um grande amigo. O texto do Prof. Délsio é muito correto e pertinente, expressando o respeito e o carinho dos que conviviam profissionalmente com o Almério”.Pedro Tauil

“Hemos recibido con mucha tristeza la partida del profesor Almerio, él fue formador de la generación de entomólogos que vienen dirigiendo el control de vectores a nivel nacional asi como a muchos de nosotros que estuvimos ya importantes responsabilidades en el control de vectores en Paraguay. Le recordamos al Dr. Almerio como una persona afable, de excelente humor e inquieto por la búsqueda de la solución de los imnuerables problemas de salud pública causado por insectos vectores. Personalmente colaboré en su tesis de maestría,  durante mi estagio en la Facultad, soy de la promoción 1977 del curso de entomología médica donde el se inició como profesor. Guardo los más lindos recuerdos de esa época. He comunicado a mis colegas tan triste noticia y abajo copio a usted algunas de sus expresiones. Por favor haga llegar a todo el cuerpo de profesores de salud Pública asi como a la familia del Profesor nuestras mas sentidas condolencias por tan grande pérdida. Saludos”Antonieta Rojas de Arias y colegas

“QUE TRISTE NOTICIA REALMENTE!!!! Un excelente profesor y por sobre todo excelente persona!!! Lo llevaremos en el corazón y la mejor forma de honrar su memoria es ser cada vez mejores entomólogas, en aras de esas muy buenas enseñanzas recibidas de parte de el”.Blanca Cousiño

“Que pena, realmente un excelente profesor!! una persona con mucha carisma…lo recuerdo con muchisimo cariño. Justamente nos recordabamos de él en la reunión pasada.”Martha Torales

“Sadly on the 14th April 2012 Brazil lost one of its outstanding medical entomologists, Almério Castro Gomes. Almério was known for his tremendous enthusiasm and was always ready to help and encourage his students and colleagues. He was a staff member of São Paulo University´s prestigious School of Public Health and began his career in its department of Epidemiology under the guidance of Brazil´s eminent medical entomologist Oswaldo Paulo Forattini. His good humour could always be counted on in difficult meetings. In honour of his contributions on the ecology of sand flies Galati and Nunes named a sand fly they had found in Mato Grosso do Sul Lutzomyia almerioi. This species has been found infected with flagellates and is a potential vector of both Leishmania (Leishmania) infantum chagasi  and a species of the subgenus L.(Viannia) which was probably L.(V.) braziliensis. Above all he represented a generation of entomologists who appreciated the importance of field observations and his untiring input was crucial in improving Brazil´s epidemiological surveillance of vectors associated with leishmaniasis and arboviruses, such as dengue and yellow fever”.Jeffrey Shaw

“O Prof. ALMERIO DE CASTRO GOMES deixará muitas saudades, pois ele conseguiu como seus grandes mestres unir o ensino, à pesquisa e à saúde pública em nosso Brasil. Algo assim, como uma verdadeira ‘MEDICINA TRANSLACIONAL’. MINHA HOMENAGEM!” / “Prof. Almerio de Castro Gomes let sadness, because he did like their masters to join the teaching, research and practice of public health, in our Brazil. Something like a true ‘Translational Medicine’. My tribute!Prof. Marco Tulio A Garcia-Zapata

“Sem dúvida, uma grande perda para a saúde pública e para Ciência”.Valéria Cristina Pinheiro

“Almério de Castro Gomes died at dawn on April 14 – Professor of the Department of Epidemiology, School of Public Health, University of Sao Paulo, an incredible human being, always with the door open for anybody! With his good-natured and cheerful way he was a committed and dedicated researcher. He was among the first to engage in the bio-ecology of sand flies, when he started in the Vale do Ribeira, São Paulo, and was the first to embrace applied research at the service. He participated many times in technical advisory services in the Working Groups of the Department of Health Institutional Estado of Sao Paulo. Always helpful and committed when requested, providing significant contributions to the service. Almério leaves us 92 full papers published in journals and 52 papers published in scientific meetings. Besides having trained 16 MScs and 8 Phds, helped with production techniques, participation in stalls, lectures, conferences, among others. As Head of the Department of Epidemiology, School of Public Health built and left a legacy of new knowledge, renewed the Medical Entomology Laboratory, and at the time of his death he was an advisor to the Ministry of Health, the Program Monitoring and Control of Dengue. We will miss his laughter and his friendship, A tribute from Vera Camargo-Neves on behalf of Superintendency of Endemic Disease Control, the Secretary of Health of São Paulo State, Brazil”.Vera Lucia Fonseca de Camargo-Neves

“Queremos expressar também que a perda do nosso querido Almério representa uma grande lacuna para o mundo científico e para a Saúde Pública”.Wanderli Pedro Tadei

“O Brasil, o Piauí, São Paulo, a USP e SBMT perderam um grande cientista. Um homem cheio de otimismo, amante da vida, da aventura, da epidemiologia paisagística. Era um parceiro continuado da luta contra a dengue, em Teresina. Nesta cidade, em parceria com a Dra. Amparo Salmito, utilizava metodologia moderna e inovadora para o controle desta doença que desafia o establishment sanitário. Um homem bom foi para o céu.”Carlos Henrique Nery Costa