Contagem regressiva para realização do primeiro Congresso Mundial de Leishmanioses realizado no Brasil

Publicação: 14 de abril de 2013

Congresso de Leishmaniose em Recife

Para Dr. Sinval, esta deve ser a maior edição e a que apresentará o programa mais instigante, um marco histórico no debate sobre o controle desta importante endemia no Brasil e em diversas partes do mundo

Escolhido por ser o País líder em estudos sobre Leishmanioses, o Brasil também apresenta “um expressivo número de pesquisadores e grupos de pesquisa, além de maior incidência da doença nas Américas”, observa Dr. Sinval Pinto Brandão Filho, presidente da Comissão Organizadora do Worldleish 5, – Fifth World Congress on Leishmaniasis.

Ele comenta que o processo de seleção para escolha do país que vai sediar o Worldleish é baseado em uma série de respostas em relação aos itens que são exigidos para qualificação pela comissão de fundadores do Congresso. Ao assegurar que tudo está correndo dentro do previsto, o presidente da Comissão Organizadora adianta que o programa final será divulgado no dia 05 de abril via e-mail e pelo site da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical (SBMT).

“O maior desafio continua sendo a obtenção de recursos financeiros para cobrir os custos de organização de um congresso deste porte, sobretudo em momentos de crise econômica pelo qual passa o mundo atualmente”, pondera Dr. Sinval ao complementar que, por outro lado, o trabalho pesado e criterioso da Comissão Científica, levando em consideração o formato do evento, selecionando os melhores trabalhos para apresentação oral, é também um desafio.

A expectativa é a melhor, garante. “Esta será a maior edição de todas e com certeza a que apresentará o programa mais instigante, um marco histórico no debate sobre o controle desta importante endemia no Brasil e em diversas partes do mundo”, aponta.

Quem são os participantes
De acordo com Dr. Sinval, qualquer cidadão interessado em Leishmanioses, em biologia parasitária e em saúde pública – desde estudantes aos mais importantes pesquisadores sobre a doença – assim como todos os técnicos e autoridades de saúde envolvidas em vigilância e controle são bem-vindos ao Worldleish 5.

“Cada sessão terá um coordenador (Chair), com a função de apresentar o tema, os palestrantes, bem como controlar o tempo – estimado em 15 minutos para cada apresentação”, detalha o organizador ao realçar que no período da tarde ocorrerão as sessões de posters – a partir das 17h. Ele conta que no encerramento do Congresso haverá a premiação dos melhores trabalhos.

Os trabalhos selecionados serão apresentados, em sua maioria, por pesquisadores e estudantes de PhD. Entretanto, o presidente da Comissão Organizadora revela que também haverá conferências de renomados estudiosos em simpósios satélites específicos em temas relevantes de Leishmanioses, como diagnóstico, tratamento e vacinas, entre outros. “Todos os temas são importantes, mas alguns sempre acabam se destacando mais como: vacinas, tratamento e controle, pela aplicabilidade em minimizar e, até mesmo, evitar o sofrimento das pessoas e dos cães, principais reservatórios domésticos do parasito”, argumenta.

Worldleish 5 – Edição Brasil
Considerada por diversos anos como uma das mais belas praias brasileiras, a escolha pela cidade para sediar o encontro se deu em virtude da boa estrutura de hotelaria e pela proximidade com o aeroporto de Recife, capital pernambucana.

Para Dr. Sinval, o Worldleish 5 será um momento histórico. “Foi o Brasil foi apresentou o maior número de trabalhos no Congresso. Esta expressiva presença reflete ainda mais a importância de nossa liderança neste encontro com toda comunidade científica internacional em Leishmania e Leishmanioses”, assinala ao divulgar que no evento também será realizada a reunião anual de pesquisa aplicada que tradicionalmente ocorre em Uberaba. Entretanto, o organizador lembra que a discussão sobre Doença de Chagas, da Reunião de Pesquisa Aplicada, está mantida em Uberaba no mês de outubro.

Inscrições abertas
Para os interessados em participar, o evento ocorrerá entre os dias 13 e 17 de maio de 2013, em Porto de Galinhas (PE), no Enotel Resort e Spa.

Para fazer parte das discussões e saber mais sobre o Congresso acesse a página do Wordleish 5.

 
Perda para Medicina Tropical e para o

Wordleish 5
O Brasil perde grande ícone das Leishmanioses e da Doença de Chagas com o falecimento do Professor Washington Luiz Tafuri. Professor emérito da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) e da Escola de Medicina de Barbacena, entre outras, Dr. Tafuri foi o primeiro pesquisador bolsista do CNPq e na atualidade era pesquisador Sênior deste Conselho.

Considerado um dos maiores patologistas tropicalistas do Brasil, ele participou da criação de vários cursos de medicina. Como professor da Faculdade de Medicina da UFMG, implantou o Centro de Microscopia Eletrônica da Faculdade de Medicina e quando assumiu o Departamento de Ciências Biológicas da UFOP fundou o Laboratório de Histopatologia.

Falecido no dia 30/03/13, o professor Washington Luiz Tafuri foi, ainda, o grande mentor da criação do Núcleo de Pesquisas em Ciências Biológicas, sendo o primeiro coordenador do seu programa de Pós Graduação em Ciências Biológicas.

Sua sabedoria fará falta ainda no atual encontro sobre Leishmanioses, que será realizado em Pernambuco.…