“Esta é uma nova era para a Sociedade Brasileira de Medicina Tropical”

Publicação: 14 de setembro de 2011

A Sociedade Brasileira de Medicina Tropical reformulou o site oficial, aderiu às redes sociais e criou um grupo de discussões. Desta forma, seus associados podem compartilhar e difundir seus trabalhos e pesquisas com mais facilidade e agilidade. Conteúdos exclusivos e pagamentos on-line da anuidade também estarão à disposição no próprio portal.

Essas novidades fazem parte de um novo passo da instituição na difusão do conhecimento e no fomento ao desenvolvimento das ideias. Membro da diretoria da entidade, Sinval Brandão Filho comenta aquilo que ele denomina como “nova era para a SBMT” e explica como se deu a inserção nas novas mídias. Confira abaixo a íntegra da entrevista:

Quando e como a Sociedade Brasileira de Medicina Tropical (SBMT) identificou a necessidade de reformular e se adequar aos novos canais de comunicação?
Sinval Brandão Filho – A razão de ser de associações científicas é a difusão do conhecimento. Cabe aos seus gestores agilizarem a interação entre os associados. As ferramentas eletrônicas são simples, rápidas. Com estas novas ferramentas, é como se os associados estivessem permanentemente em congressos científicos e médicos, literalmente congregados. Esta é uma nova era para a Sociedade Brasileira de Medicina Tropical.

O website da SBMT foi restruturado. Quais foram as principais implementações e qual é a importância dessa modernização no portal?
Brandão Filho – O projeto é que tenhamos mais que um site convencional, mas um portal da SBMT, que integrará várias funcionalidades de difusão da informação e maior interação com os sócios por meio de serviços em sua área de acesso, como pagamento de anuidades, atualização cadastral e conteúdos exclusivos. Há também a ideia de que os eventos promovidos pela SBMT tenham sua área dentro do portal para toda grade de inscrições, avaliação de trabalhos etc. A atual direção tem como outro objetivo elaborar uma versão de nosso portal em inglês para que a comunidade científica internacional consiga aproveitar nosso conteúdo e interagir conosco, fazendo pontes de colaboração.

Outra novidade é a newsletter da SBMT, enviada mensalmente ao e-mail de todos os cadastrados. De que maneira ela contribui com o associado?

Brandão Filho – A informação de qualidade é um dos fatores mais importantes no mundo de hoje e a Newsletter veio para incrementar a difusão da informação entre os sócios e os interessados da sociedade de uma forma geral. Neste sentido, textos sobre temas científicos relevantes para nossa área de atuação, notícias sobre eventos de interesse e políticas públicas em saúde são a base de seu conteúdo. É importante que os sócios sejam estimulados a prepararem textos e comentários para as próximas edições.

A SBMT aderiu também ao mundo das redes sociais, com a criação de perfis no Twitter e no Facebook.  O que a diretoria pretende com estas novas ferramentas?

Brandão Filho – O avanço das redes sociais no mundo de hoje é inexorável. O uso adequado destas ferramentas na internet é um caminho natural e todas as principais representações cientificas do mundo estão se inserindo nestes espaços, assim como os principais órgãos de fomento à ciência, pois permitem a vários seguidores o compartilhamento da informação de interesse comum. Também faz parte de nossos projetos a criação de um blog dentro de nosso portal. Esta é uma modalidade de compartilhamento bastante útil no mundo da internet, como fórum de discussão dentro de nosso portal.

A SBMT criou uma lista de discussão por e-mail para que os associados possam debater temas diversos da medicina tropical. Qual é a importância de participar da lista e como ela pode contribuir com os Grupos de Trabalho da sociedade?

Brandão Filho – A lista de discussão é a forma mais fácil de debater temas de interesse da SBMT e da comunidade científica, afinal hoje todo mundo tem e lê e-mail. A nossa inspiração veio da Leish-l, uma preciosa rede de discussão internacional em leishmanioses sediada no Brasil, para uma doença tropical de grande interesse na comunidade científica. A Leish-l existe há quase vinte anos e é um exemplo fantástico de como contribui com a discussão de temas científicos relevantes, relacionados ao diagnóstico, tratamento, controle etc. Além disso, conta com a participação de alto nível da comunidade científica de todo mundo. Outro aspecto importante que a lista de discussão possui é sua serventia como ferramenta estratégica de integração dos nossos Grupos de Trabalho (GTs), uma inovação que a atual gestão propôs na sua plataforma para tornar nossa entidade ainda mais dinâmica, através da discussão de temas relevantes relacionados aos mais diversos aspectos envolvidos com a área de Medicina Tropical.