Nota SBMT em apoio a democracia e ao processo eleitoral

Publicação: 30 de setembro de 2022

.

Neste momento em que dedicamos nossos melhores pensamentos para o futuro do Brasil, acreditamos ser fundamental dar atenção especial a iniciativas que valorizem a saúde, a ciência e a pesquisa e desenvolvimento (P&D). O compromisso dos Presidenciáveis se dá principalmente pela defesa de um financiamento duradouro, justo e adequado. A Constituição Federal do Brasil, promulgada em 1988, define Saúde como um direito social por meio do acesso universal e igualitário às ações e serviços, que devem garantir a sua promoção, proteção e recuperação.

Nesse sentido a Sociedade Brasileira de Medicina Tropical (SBMT) chama a atenção para a necessidade de financiamento público do Sistema Único da Saúde (SUS) no patamar mínimo de 6% do Produto Interno Bruto (PIB) nos próximos 4 anos; aumento de investimentos nas bases tecnológica e industrial da saúde no Brasil para superar a vulnerabilidade econômica; aumento progressivo do investimento público em Ciência, Tecnologia e Inovação para 2% do PIB em quatro anos; respeito às decisões democráticas e à autonomia das universidades; política de recomposição de valores de bolsas de estudos (iniciação científica, Mestrado, Doutorado e Pós-doutorado); diálogo permanente com entidades representativas da comunidade acadêmico-científica para o desenvolvimento de políticas para a ciência, tecnologia e inovação; promoção de políticas públicas relacionadas à equidade e ao respeito à diversidade e defesa da democracia e do processo eleitoral.

No intuito de garantir o crescimento do País de forma mais consistente, com inclusão e independência, precisamos unir objetivos de reconstruir nossa nação que tanto sofreu ao longo de mais de dois anos de pandemia e definir projetos de desenvolvimento social que façam o Brasil seguir rumo a um estágio civilizacional cada vez mais avançado. Assim, a SBMT, que ao longo de seus 60 anos tem mantido um compromisso técnico-político de apoiar os órgãos públicos e particulares envolvidos no enfrentamento e controle de doenças tropicais, infecciosas e parasitárias, em várias frentes de apoio, respeitando as diretrizes do SUS, promover e incentivar estudos e pesquisas relativos à Medicina Tropical, reafirma seu compromisso em prol da saúde pública e a disponibilidade da comunidade de tropicalistas para atuar, ao lado do Governo Federal e do Ministério da Saúde, no enfrentamento dos grandes desafios no controle das endemias e epidemias, bem como na implantação de novos cenários para a capacitação de recursos humanos e geração de conhecimentos.