Nota de falecimento: Dr. Bodo Wanke

Publicação: 22 de julho de 2021

O professor Dr Bodo Wanke, Pesquisador Titular do Instituto, Pesquisador Emérito da Fiocruz, Coordenador do Laboratório de Referência Nacional para Micoses Sistêmicas (CGLAB/SVS/MS) e Diretor do INI no período de 1994 a 1997, faleceu hoje, no Rio de Janeiro vítima da COVID-19.

O professor Bodo se graduou em medicina na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), onde se especializou e obteve o título de médico e Doutor em Doenças Infecciosas e Parasitárias. Como bolsista da Deutscher Akademischer Austauschdienst, DAAD, Alemanha. Especializou-se em Micologia Médica na Universität Freiburg, UNI FREIBURG, Alemanha e em Medicina Tropical e Parasitologia Médica no Bernha na Universität Hamburg, UH, Alemanha.

Ele se integrou ao Instituto Oswaldo Cruz/Fiocruz em 1980 e em 1986 transferiu-se para o Hospital Evandro Chagas (HEC), hoje Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas/Fiocruz, onde criou o Laboratório de Micologia Médica e desenvolveu toda a sua brilhante carreira de Pesquisador e Professor, que alcançou amplo reconhecimento nacional e internacional. Sob a sua liderança o laboratório de Micologia do INI/Fiocruz tornou-se um Laboratório de Referência Nacional e que desempenha papel estratégico no Sistema Único de Saúde, no diagnóstico de micoses profundas, desenvolvimento de técnicas inovadoras de diagnóstico e capacitação de profissionais de todo o País.

Membro Honorário Nacional da Academia Nacional de Medicina (ANM) e da Sociedade Internacional de Micologia Humana e Animal (International Society for Human and Animal Micology – ISHAM), o professor Bodo Wanke teve como foco principal das suas pesquisas as micoses sistêmicas (Paracoccidioidomicose, Histoplasmose, Coccidioidomicose e Criptococose) e oportunísticas (Candidíase, Aspergiloses, Mucormicose, Hialohifomicose e Feohifomicose) e seus respectivos agentes. No estudo destas micoses trabalhou direcionado para a Ecoepidemiologia das micoses e de seus respectivos agentes; diagnóstico clínico e laboratorial, tratamento específico e inespecífico e vigilância.

A identificação e descrição da microepidemia de coccidioidomicose no semiárido do Piauí, incluindo o isolamento pela primeira vez do fungo Coccidioides immitis/C. posadasii foi uma das realizações mais destacadas do Professor Bodo. Entre as suas contribuições no trabalho no Piauí foi a liderança do Programa de Pós-graduação criado em conjunto pela Universidade Federal do Piauí e a Fiocruz. O professor tinha especial apreço pelo trabalho no Piauí, desenvolvido com muita satisfação, dedicação e amor. Como fez em todos os lugares onde trabalhou, Bodo estabeleceu no Piauí uma ampla rede de colaboradores e fez ali muitos amigos e recebeu o título de cidadão piauiense, homenagem da qual muito se orgulhava.

Ao longo da sua carreira o Professor Bodo Wanke desenvolveu importantes conhecimentos na área de micologia, desenvolveu importantes colaborações Nacionais e Internacionais e contribuiu para a formação de centenas de alunos de graduação e pós-graduação em todo o País, contribuindo de forma destacada para a excelência do Programa de Pós-graduação Stricto sensu em Pesquisa Clínica em Doenças Infecciosas e Parasitárias do INI/Fiocruz e do Programa de Pós-graduação Stricto Sensu em Medicina Tropical do Instituto Oswaldo Cruz.

O Professor Bodo Wake, carinhosamente chamado de “Bodo” pelos seus amigos, colegas de trabalho, colaboradores e alunos, será sempre lembrado não apenas por sua excelência como Pesquisador e Professor, mas especialmente pela sua humildade, generosidade, integridade e afeto pelas pessoas. Ele sempre nos inspirou e continuará nos inspirando a sermos pessoas melhores a cada dia.

O Professor Bodo Wanke tinha 80 anos. Ele deixa a esposa Márcia Lazera também renomada pesquisadora do INI e dois filhos, Bruna e Peter.

Valdiléa G. Veloso

Diretora

INI/Fiocruz