Nota de Falecimento Dr. Anis Rassi

Publicação: 7 de June de 2021

.

O professor Dr. Anis Rassi faleceu no dia, 6 de junho de 2021 aos 91 anos de idade. Uma vida exemplar e ilustre, dedicada à medicina e a doença de Chagas. Cardiologista, formado no Rio de Janeiro logo após estabeleceu-se em Goiânia onde começou a registrar casos de doença de Chagas, muitos na fase aguda. Já com espírito científico, colecionou histórias clínicas e exames dos pacientes que, só com doença de Chagas totalizaram mais de 10.000, iniciando comunicações científicas, publicações e capítulos de livro, sobre a cardiopatia chagásica, a fase aguda e o tratamento específico. Um dos pioneiros sobre tratamento com diferentes drogas, até o aparecimento do nifurtimox, e logo depois do benznidazol, não apenas instituía o tratamento, como fez o seguimento daqueles tratados, durante décadas, a partir de 1957. Naquela época, teve a visão de congelar os soros, formando uma soroteca extremamente rica e que permitiu análise do comportamento dos anticorpos após o tratamento específico, possibilitando a publicação de resultados inéditos em mais de 1.000 pacientes. Também iniciou o xenodiagnóstico, único exame parasitológico à época, com mais de 6.000 exames realizados. Idealizou as chamadas sorologia e xenodiagnóstico longitudinais para estudar o comportamento dos parasitos e dos anticorpos em pacientes tratados e não tratados. Exigente e obsessivo com os resultados, não permitia nenhum deslize, e só publicava resultados após inúmeras repetições. Respeitado em todas as reuniões científicas da especialidade, foi consultor da Organização Mundial da Saúde e da OPAS, assim como membro obrigatório dos inúmeros wokshops sobre eletrocardiograma, formas clínicas, tratamento e seguimento. Professor da Faculdade de Medicina desde o seu início, recebeu o título de Professor Emérito, alem de inúmeras outras honrarias. Membro desta Sociedade (SBMT) desde sua fundação, também foi pioneiro nas reuniões de Pesquisa Aplicada em doença de Chagas, desde a primeira em Araxá em 1984 comparecendo regularmente. Uma historia de vida exemplar, que deixa o exemplo para seus filhos médicos e seus alunos, entre os quais me orgulho de fazer parte.

Alejandro O. Luquetti