MedTrop: Fórum Social de Enfrentamento de Doenças Infecciosas e Negligenciadas reúne representantes de vários estados

Publicação: 2 de setembro de 2018

Durante o 54º Congresso da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical (MedTrop 2018), em Pernambuco, dentro das atividades da XXXIII REUNIÃO ANUAL DE PESQUISA APLICADA EM DOENÇA DE CHAGAS & XXI REUNIÃO DE PESQUISA APLICADA EM LEISHMANIOSES, ocorreu no dia 01 de setembro de 2018 o “Fórum Social Brasileiro para Enfrentamento de Doenças Infecciosas e Negligenciadas”,  juntamente com o 3º Encontro Brasileiro de Movimentos Sociais de Luta Contra Doenças Negligenciadas.

Neste ano de 2018, estiveram presentes 114 pessoas, entre representantes de movimentos de luta contra várias Doenças Tropicais Negligenciadas (doenças de Chagas, leishmanioses, hanseníase, esquistossomose, filariose, hepatites virais e infecção por HIV/aids), provenientes de vários estados brasileiros (Pernambuco, Ceará, Bahia, Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro e Mato Grosso), além de pessoas e organizações apoiadoras do Fórum, como membros da NHR Brasil (Netherlands Hanseniasis Relief – Brasil), Iniciativa Medicamentos para Doenças Negligenciadas (DNDi, sigla em inglês de Drugs for Neglected Diseases initiative), Médicos sem Fronteiras (MSF) e Universidades e centros de pesquisa do Brasil. Ao final da reunião, uma carta foi elaborada por seus membros, sintetizando suas reivindicações, anseios e preocupações. Mais uma vez, a leitura desse documento (Carta de Recife) na abertura do evento, legitima a existência do Fórum no escopo do Congresso da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical (SBMT).

A SBMT desde a constituição em 2016 do Fórum Social Brasileiro para Enfrentamento de Doenças Infecciosas e Negligenciadas reconhece, legitima e apoia este espaço democrático e participativo composto por pessoas, organizações e movimentos sociais. Trata-se de um grande esforço coletivo com o intuito de promover a participação social e o empoderamento de cidadãos e cidadãs, trazendo vozes silenciadas repletas de vida e que simbolizam a luta de milhões de brasileiros e brasileiras por Direitos Sociais e Humanos, em particular por acesso à saúde, respeito e dignidade.

Acesse a carta completa.