Fórum discute demandas para combate integrado da doença de Chagas, leishmaniose, hepatites virais e hanseníase

Publicação: 28 de agosto de 2017

Movimentos sociais reunidos para articular ações conjuntas de enfrentamento às doenças negligenciadas

O primeiro dia do 53º MedTrop foi marcado por várias atividades, entre elas o Fórum de Enfrentamento das Doenças Infecciosas e Negligenciadas. Representantes dos movimentos de diversos estados trocaram experiências sobre as doenças e partilharam atividades no Brasil na luta pelos direitos dos pacientes. O objetivo foi pensar em demandas comuns para as diferentes doenças, como a necessidade de notificação compulsória de casos para melhor conhecimento dos problemas, comunicação colaborativa dos movimentos e alternativas de suporte econômico para as ações.

O trabalho em rede também busca sensibilizar os governos para um olhar voltado às populações negligenciadas e atingidas pelas doenças relacionadas à pobreza. Uma das discussões foi a favor de um projeto de lei para a instituição de uma semana nacional de conscientização sobre as doenças negligenciadas, espaço que permite maior mobilização pelas necessidades básicas dos pacientes. Os participantes fizeram abaixo-assinado por esta iniciativa durante a reunião, além de debater a articulação para criar datas alusivas a cada uma das doenças no Brasil.

Também foi defendido que os movimentos tenham representação nos Conselhos municipais de saúde. Os participantes afirmaram ainda a importância de agir como um controle social das políticas públicas e de se unir em defesa do sistema público de saúde, principalmente no fortalecimento da atenção básica. Durante o encontro, foi formado grupo de trabalho para elaboração de documento com as principais demandas discutidas na reunião e encaminhamentos a serem levados ao Ministério da Saúde. A Carta de Cuiabá foi lida durante a cerimônia de abertura do 53º MedTrop.

Durante o Fórum também foi relançado o “Portal Doença de Chagas” (http://chagas.fiocruz.br/), que foi idealizado em 2006 pela Dra. Joseli Lannes e equipe e colocado no ar em 2007, se tornando rapidamente uma das fontes mais completas e seguras acessadas na área. O Portal consiste em um espaço democrático, como meio para socializar informações, ações e movimentos, iniciativa integrada envolvendo inúmeras instituições de ensino e pesquisa, lideradas pela Fundação Oswaldo Cruz, com objetivo de centralizar todo o tipo de informações sobre a doença, tendo como público-alvo profissionais e estudante da área de saúde, e sobretudo os indivíduos afetados. No Portal estão inseridas informações completas sobre os mais diversos aspectos da enfermidade, sendo ainda disponibilizadas imagens, vídeos educativos, documentários, entrevistas, material voltado para a capacitação de agentes de saúde, além material de apoio e orientações ao portador, dando ênfase ao cuidado e atenção integral.

Com informações de Thaís Brito – NHR Brasil