MedTrop 2020 traz como tema “Doenças tropicais e populações negligenciadas: o desafio de conhecer, vigiar e cuidar”

Publicação: 8 de January de 2020

A 56ª edição terá temática variada, centrada nos avanços e nos desafios da implantação de novas tecnologias em inovação em saúde dirigidas ao diagnóstico, tratamento e medidas de vigilância e controle

O MedTrop representa a renovação e a continuidade da grande comunidade científica que o Brasil construiu ao longo de seis décadas de atuação da SBMT

Durante quatro dias Belém do Pará será palco de um dos maiores eventos médicos-científicos do País. A 56º edição do Congresso da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical (MedTrop-2020), que traz como tema “Doenças tropicais e populações negligenciadas: o desafio de conhecer, vigiar e cuidar”, vai contemplar uma programação científica ampla e atual com abordagens diversas de estudos básicos, ensaios clínicos e estudos de coortes, avanços no diagnóstico e vigilância epidemiológica, tratamento e controle de doenças infecciosas e parasitárias, com ênfase especial para as doenças de populações negligenciadas, dentre outros.

De acordo com o presidente do evento, doutor Pedro Fernando da Costa Vasconcelos, que também é o presidente da SBMT, a multidisciplinaridade da Sociedade e dos congressos que ela promove tem possibilitado a discussão aprofundada de diversos temas relativos à Medicina Tropical, vigilância e novas abordagens terapêuticas de várias doenças tropicais e negligenciadas que afetam a comunidade brasileira, como as arboviroses, malária, leishmaniose, tuberculose, dentre outras, que têm produzido nos últimos anos um impacto positivo na qualidade de vida e na assistência médica prestada as populações afetadas e sob o risco de adquirir essas doenças.

O evento será uma excelente oportunidade para reunir profissionais, estudantes de graduação e pós-graduação de todo o Brasil e de outros países nas áreas de infectologia, epidemiologia, farmácia, biomedicina, biologia, laboratórios clínicos, veterinária, vigilância epidemiológica, gestão e políticas de saúde associadas aos diversos serviços de saúde para intensa troca de experiências, intercâmbio de descobertas e atualizações científicas nas áreas temáticas. A expectativa da comissão organizadora é reunir cerca de 3 mil participantes das áreas das ciências biológicas, da saúde e correlatas em busca de avanços e soluções para as principais doenças tropicais que afligem o Brasil e as Américas.

Assim como nas edições anteriores, outros eventos irão ocorrer simultaneamente ao MedTrop. Duas reuniões nacionais importantes e tradicionais: a de Pesquisa Aplicada em Chagas e Leishmaniose (Chagasleish), e a Nacional de Pesquisa em Malária, além do VIII Workshop da REDE-TB, 8ª edição do Entomol e 4º Fórum Social Brasileiro de Enfrentamento de Doenças Infecciosas e Negligenciadas. A programação prevê ainda 11 cursos pré-congresso, 48 mesas redondas, 32 mini-conferências, 12 conferências, aproximadamente 200 temas livres para apresentação oral e duas mil apresentações de pôster.

“Este grande evento reúne anualmente especialistas, pesquisadores e profissionais de diversas áreas de trabalho relacionadas à Medicina Tropical, tais como: médicos, biólogos, biomédicos, farmacêuticos, veterinários, ecologistas, engenheiros sanitaristas, sociólogos, entomologistas, geógrafos, historiadores, técnicos da saúde pública, legisladores, enfermeiros, estatísticos etc. Conta ainda com a participação de um grande número de estudantes de graduação e pós-graduação, vinculados a diversos programas das áreas de ciências biológicas, medicina tropical e doenças infecciosas e saúde coletiva, que representam a renovação e a continuidade desta grande comunidade que o Brasil construiu ao longo de seis décadas de atuação da SBMT”, destaca o presidente.

Inovação, mudança e evolução

O MedTrop 2020 estará de cara nova. As Arenas vão acontecer em ambiente central à área de exposição de stands e de apresentação de trabalhos científicos, aonde funcionarão quatro auditórios simultâneos ou apenas um único auditório para apresentação das Conferências principais da grade científica. O objetivo é que os participantes tenham a oportunidade de usufruir de forma compartilhada, em um único ambiente, dos serviços do Congresso juntamente com a área de exposição de stands, praça de interatividade, auditórios/plenárias, apresentação de trabalhos científicos, praça de alimentação, entre outros.

“A cidade de Belém do Pará, com 404 anos, terá o prazer de sediar pela 4ª vez, uma nova edição do MedTrop. Uma das principais cidades da região Norte do Brasil, que conta com importantes Instituições de pesquisas na área de doenças tropicais e negligenciadas, contribuirá com uma ampla experiência de seus participantes para um maior engrandecimento do evento, como sempre ocorreu em sua série histórica, reunindo pessoas ávidas por conhecimentos e novidades científicas dentro da temática do evento”, ressalta o doutor Vasconcelos.

Os participantes terão a oportunidade de conhecer uma área do Brasil ainda pouco visitada por nós brasileiros, mas que por vezes, é mais atraente para os estrangeiros. Em plena Amazônia, Belém do Pará, “a cidade das mangueiras” é conhecida por suas belezas históricas e naturais, sua gastronomia e riqueza cultural, bem como por ser sede do Instituto Evandro Chagas (IEC, renomado centro de pesquisas em doenças tropicais. “O caloroso e hospitaleiro povo paraense está orgulhoso em sediar novamente o congresso da SBMT, encarando o desafio que as doenças tropicais e populações negligenciadas representam para o mundo, mas com a certeza de fazer deste um grandioso e marcante evento para todos”, conclui o presidente do 56º MedTrop.

Não fique de fora desta grande oportunidade de ampliar seus conhecimentos e de conhecer lugares incríveis. Contamos com a sua participação! #MedTropeuvou