SBMT divulga os vencedores do Prêmio Jornalista Tropical 2018

Publicação: 8 de agosto de 2018

Concorriam ao Prêmio nesta quinta edição 190 reportagens, sendo 44 na categoria TV, 48 na categoria Impresso e 98 na categoria Online

Durante quatro meses, a Sociedade Brasileira de Medicina Tropical (SBMT) recebeu inscrições de matérias para concorrer ao Prêmio Jornalista Tropical em três categorias: Televisão, Impresso e Online. As reportagens candidatas foram analisadas por uma comissão julgadora composta pelo presidente do 54º Congresso da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical (MedTrop), por três membros da SBMT e por uma profissional da área de comunicação.

A comissão julgadora após criteriosa análise das 190 reportagens que concorriam ao Prêmio Jornalista Tropical 2018 escolheu como vencedora na categoria Impresso, entre as onze finalistas, a matéria “O alarme dos macacos, do jornalista Carlos Henrique Fioravanti, da Revista Pesquisa Fapesp. A Reportagem, veiculada em 5 de janeiro de 2018, examinou em  profundidade a mortandade de macacos causada pelo vírus da febre amarela e suas consequências para o controle da atual epidemia no Brasil.

Na categoria TV, entre as dez finalistas, a vencedora a série de reportagens, do repórter Jean Raupp (com edição de Luciana Cantão), exibidas no SP1 – TV Globo, nos dias 26, 27 e 28 de fevereiro de 2018, analisou como a febre amarela se espalhou pelo estado de São Paulo. Também explicou como ela é causada e a importância da vacinação. Para explicar como são produzidas as vacinas e como elas atuam no organismo, a equipe conseguiu autorização especial para entrar no laboratório do Butantã.

LINKS:

Reportagem 1: Epidemia de Febre Amarela é a pior em 70 anos e sobram vacinas

https://globoplay.globo.com/v/6532903/programa/

Reportagem 2: Febre Amarela chegou ao Estado por Amparo e se espalhou rapidamente

https://globoplay.globo.com/v/6536133/programa/

Reportagem 3: Ovos são base da produção das vacinas contra Gripe e Febre Amarela

Já na categoria Online, entre as dezessete finalistas, a vencedora foi a matéria “Doenças negligenciadas são desafio gigantesco para a saúde pública no Brasil, do jornalista José Pedro Soares Martins, da Agência Social de Notícias. A reportagem, veiculada no dia 30 de abril de 2018, analisou o panorama das doenças negligenciadas no Brasil, as ações de prevenção, o combate e o tratamento.

Além do valor de R$ 1.500,00 para os jornalistas vencedores, as ganhadoras estão convidadas a participar do 54º Congresso da SBMT  para receberem o título de Jornalista Tropical 2018 durante a cerimônia de abertura do Medtrop. O evento será realizado em Recife entre 02 e 05 de setembro.

Quem julgou as reportagens

A comissão julgadora foi composta por quatro especialistas em Medicina Tropical e uma profissional da área de comunicação.

O primeiro especialista que contribuiu na difícil decisão de classificar os trabalhos jornalísticos e que pelo conteúdo, abrangência e interesse social indicou suas preferências para o Prêmio, foi o Dr. Pedro Tauil, que é doutor em Medicina Tropical pela Universidade de Brasília (UnB), onde atualmente é professor colaborador voluntário, junto à área de Medicina Social da Faculdade de Medicina e do Programa de pós-graduação em Medicina Tropical. Dr. Tauil possui experiência na área de saúde coletiva, com ênfase em epidemiologia, atuando principalmente nos seguintes temas: epidemiologia e controle de malária, dengue e febre amarela e metodologia epidemiológica.

O segundo especialista que participou efetivamente da escolha foi o Doutor. Carlos Costa, coordenador das mídias da SBMT. Ele concluiu doutorado em Saúde Pública Tropical, na Harvard University e foi presidente da SBMT entre 2011 e 2013. Atualmente é professor da Universidade Federal do Piauí, médico do Instituto de Medicina Tropical Natan Portella e coordena o Laboratório de Pesquisas em leishmanioses. Dr. Costa também é o coordenador-geral das mídias da SBMT.

O terceiro foi o infectologista Dr. André Siqueira, que possui graduação em Medicina pela Universidade de Brasília (UnB), Residência Médica em Infectologia pela Universidade de São Paulo (USP), Mestrado em Epidemiologia pela London School of Hygiene & Tropical Medicine (2011) e doutorado em doenças tropicais pela Universidade do Estado do Amazonas(UEA)/Fundação de Medicina Tropical Dr. Heitor Vieira Dourado (2014). É Pesquisador e Médico Infectologista do Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas (INI-FIOCRUZ).

O quarto membro da Comissão, atual presidente da SBMT e presidente da 54ª edição do MedTrop, Dr. Sinval Pinto Brandão Filho, possui graduação em Farmacia e Bioquimica pela Universidade Federal da Paraíba (1981) e doutorado em Biologia da Relação Patógeno-Hospedeiro pela Universidade de São Paulo (2001). Atualmente é pesquisador titular da Fundação Oswaldo Cruz, lotado no Instituto Aggeu Magalhães. Tem experiência nas áreas de Parasitologia e Saúde Pública, com ênfase no estudo da Eco-Epidemiologia de Doenças Parasitarias, atuando principalmente nas seguintes linhas de pesquisas: eco-epidemiologia da leishmaniose tegumentar e da leishmaniose visceral, biologia de hospedeiros reservatórios e flebotomíneos vetores.

A quinta integrante foi a jornalista Denise de Quadros, que já coordenou a Comunicação Social do Conselho Federal de Psicologia (CFP); coordenou a imprensa do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa); foi chefe da Assessoria de Comunicação Social da Secretaria de Estado da Criança do Distrito Federal (SECriança); atualmente é assessora de comunicação da Rede Brasileira de Pesquisas em Tuberculose (REDE-TB) e há mais de seis anos coordena a assessoria de comunicação da SBMT.