SBMT divulga os vencedores do Prêmio Jornalista Tropical 2017

Publicação: 26 de julho de 2017

Concorriam ao Prêmio nesta quarta edição 113 reportagens, sendo 21 na categoria TV, 54 na categoria Impresso e 38 na categoria Online

A comissão julgadora da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical (SBMT), após criteriosa análise das 113 reportagens que concorriam ao Prêmio Jornalista Tropical 2017, escolheu como vencedora na categoria Impresso, entre as sete finalistas, a matéria da repórter Marília Marasciulo, veiculada na Revista Galileu, que mostra como a desigualdade social contribui para a existência de epidemias e das doenças tropicais negligenciadas. A reportagem “Desigualdade faz mal à saúde”, publicada na edição de abril de 2017, foi baseada em um estudo divulgado no ano passado pela Fiocruz.

Na categoria TV, entre as sete finalistas, a vencedora foi a matéria veiculada na UnBTV, em 23 de maio de 2016, produzida pela repórter Celina Paiva: UnB participa de pesquisa para desenvolver vacina contra a dengue. A reportagem trouxe a “Medicina Tropical” como eixo central e mostrou a relevância do ponto de vista social. A matéria falou sobre a vacina para prevenir a dengue – com a ideia de proteger os quatro tipos da doença, desenvolvida pelo Instituto Butantan.

Já na recém criada categoria Online, entre as sete finalistas, a comissão julgadora optou em dividir o valor do Prêmio entre as duas empatadas: Inimigo Invisível, da repórter Karine Wenzel, veiculada, em 11 de março de 2017, no Diário Catarinense, afiliado Globo em Santa Catarina, e a matéria Quem Mata o Mosquito, da repórter Jéssica Welma, publicada em 28 de abril de 2017, no Portal Tribuna do Ceará. As duas reportagens ouviram várias fontes, entre elas, o Dr. Carlos Brisola do Departamento de Microbiologia, Imunologia e Parasitologia da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), a professora do Departamento de Saúde Pública da UFSC Eleonora D’Orsi, a pesquisadora do Instituto Oswaldo Cruz Denise Valle; o Dr. Ivo Castelo Branco, Coordenador do Núcleo de Medicina Tropical da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Ceará (UFC), Marcos Aurélio Silva Costa, primeiro cearense a testar a vacina contra a dengue na UFC, bem como pessoas locais. Matérias muito esclarecedoras e abrangentes que também contextualizaram com dados e números.

Além do valor de R$ 1.500,00 para os jornalistas vencedores, as ganhadoras estão convidadas a participar do 53º Congresso da SBMT para receberem o título de Jornalista Tropical 2017 durante a cerimônia de abertura do Medtrop. O evento será realizado em Cuiabá entre 27 e 30 de agosto.

Quem julgou as reportagens

A comissão julgadora foi composta por dois especialistas em Medicina Tropical e uma profissional da área de comunicação.

O primeiro especialista que contribuiu na difícil decisão de classificar os trabalhos jornalísticos e que pelo conteúdo, abrangência e interesse social indicou suas preferências para o Prêmio, foi o Dr. Pedro Tauil, que é doutor em Medicina Tropical pela Universidade de Brasília (UnB), onde atualmente é professor colaborador voluntário, junto à área de Medicina Social da Faculdade de Medicina e do Programa de pós-graduação em Medicina Tropical. Dr. Tauil possui experiência na área de saúde coletiva, com ênfase em epidemiologia, atuando principalmente nos seguintes temas: epidemiologia e controle de malária, dengue e febre amarela e metodologia epidemiológica.

O segundo médico que participou da Comissão julgadora, Dr. André Siqueira, possui graduação em Medicina pela Universidade de Brasília (UnB), Residência Médica em Infectologia pela Universidade de São Paulo (USP), Mestrado em Epidemiologia pela London School of Hygiene & Tropical Medicine (2011) e doutorado em doenças tropicais pela Universidade do Estado do Amazonas(UEA)/Fundação de Medicina Tropical Dr. Heitor Vieira Dourado (2014). É Pesquisador e Médico Infectologista do Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas (INI-FIOCRUZ).

A terceira integrante, da área de comunicação, foi a jornalista Denise de Quadros, que já coordenou a Comunicação Social do Conselho Federal de Psicologia (CFP); coordenou a imprensa do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa); foi chefe da Assessoria de Comunicação Social da Secretaria de Estado da Criança do Distrito Federal (SECriança); e há mais de cinco anos coordena a assessoria de comunicação da SBMT.