Presidente do MedTrop 2018, Dr. Sinval Pinto Brandão Filho, comemora número recorde de participantes

Publicação: 9 de outubro de 2018

Congresso promoveu uma ampla programação sobre temas relevantes à sociedade, reunindo a comunidade científica nacional e internacional para debater as mais variadas questões relacionadas às doenças transmissíveis e o seu enfrentamento

O 54º MedTrop recebeu pesquisadores, alunos, gestores e profissionais de saúde de todos os estados brasileiros, principalmente da região Nordeste, além de representantes internacionais de 13 países

A 54ª edição do Congresso da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical (MedTrop) foi espetacular e merece todas as luzes. O presidente, Dr. Sinval Pinto Brandão Filho, comemorou o número recorde de participantes e seu entusiasmo em dizer que o evento superou todas as expectativas em número de participantes e que esta já é, historicamente, a maior edição nos 56 anos de existência da SBMT.

O presidente do MedTrop conversou com a assessoria de comunicação da SBMT. Confira abaixo a íntegra da entrevista.

SBMT: Como definir um Congresso que superou as expectativas dos realizadores?

Dr. Sinval Pinto Brandão Filho: O congresso corou todo trabalho dedicado ao longo de onze meses em intensa articulação entre a comissão organizadora e as comissões científicas para a construção de um programa bastante abrangente e de excelente qualidade, o que propiciou o grande interesse do público frequente dos congressos de nossa SBMT em participar, aliado a oportunidade de termos quatro eventos satélites de grande importância que trouxeram um público adicional ao congresso.

SBMT: Durante a cerimônia de abertura do Medtrop, o subdiretor da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), Dr. Jarbas Barbosa, enfatizou que é preciso conseguir o acesso universal a medidas de detecção de doenças transmissíveis nas Américas e tratamento precoce. Além disso, ele ressaltou que o MedTrop é uma ponte para integrar a pesquisa e a saúde pública. O senhor gostaria de comentar essas afirmações?

Dr. Sinval Pinto Brandão Filho: Esta afirmação vem de encontro aos objetivos do congresso da SBMT, associar a comunidade científica aos profissionais dos serviços de vigilância em saúde nas diversas esferas de governo, para somar os esforços obtidos na geração do conhecimento e a aplicação deste conhecimento para o aperfeiçoamento das ações e medidas de controle de diversos agravos relevantes em saúde pública.

SBMT: No Congresso também foram compartilhados detalhes sobre os testes iniciados nos EUA utilizando uma só vacina contra zika e dengue em humanos. Como o senhor vê isso?

Dr. Sinval Pinto Brandão Filho: Com muito otimismo e satisfação, pois a zika e as outras arboviroses como dengue e chikungunia tem grande incidência no País e representam grandes desafios em saúde pública. Neste sentido, todos os esforços em busca para vacinas devem ser estimulados, pois é a forma mais adequada para evitar a infecção em populações susceptíveis.

SBMT: Ainda no MedTrop foi apresentada a nova droga antiviral, já aprovada no Japão, e que está prestes a ser liberada nos Estados Unidos: o Baloxavir marboxil. Em sua opinião, o que representa a apresentação no MedTrop da pesquisa de intervenção precoce da droga no cuidado hospitalar?

Dr. Sinval Pinto Brandão Filho: Todos os avanços para a obtenção de novos insumos para o enfrentamento de doenças infeciosas são louváveis, em especial para as doenças que incidem em populações negligencias, onde a indústria farmacêutica não tem grande interesse de investir no desenvolvimento de novos fármacos.

SBMT: Outro anúncio importante feito em conferência durante o Congresso foi a respeito dos esforços da OPAS para eliminar o câncer do colo uterino (HPV) até 2030. O senhor gostaria de comentar?

Dr. Sinval Pinto Brandão Filho: Na mesma linha da resposta anterior.

SBMT: O tracoma foi outra doença tropical enfatizada no MedTrop: “O Brasil evoluiu muito em relação à prevenção do tracoma. Contudo, enquanto a doença não for eliminada, corre-se sempre o risco de problemas (como a cegueira) virem a suceder. Não adianta ensinar a criança a lavar as mãos se ela não tem acesso a água nem a sabonete. E a prevenção (do tracoma) vem de medidas fáceis de ser implantadas. O mau controle da doença está relacionado a precárias condições de saneamento”. O que o senhor teria a acrescentar a essa afirmação?

Dr. Sinval Pinto Brandão Filho: O saneamento é a medida mais adequada para evitar a incidência e transmissão da grande maioria das doenças transmissíveis, neste sentido tivemos duas excelentes mesas redonda que apresentaram uma ampla discussão e dados sobre a situação no País a urgência da necessidade de investimentos neste campo.

SBMT: O primeiro dia de atividades científicas do Congresso debateu a tríplice epidemia, que colocou Pernambuco nas discussões mundiais relacionadas à saúde pública. O senhor gostaria comentar?

Dr. Sinval Pinto Brandão Filho: Foi notória e reconhecida a capacidade de nossa comunidade científica na resposta às epidemias de arboviroses e ressaltamos com destaque todo trabalho realizado nos últimos três anos na resposta e no enfrentamento destes grandes desafios em saúde pública.

SBMT: Biólogos de quatro estados brasileiros participaram da mesa-redonda que abordou a epidemiologia e o tratamento dos acidentes por animais peçonhentos no País. Na ocasião eles denunciaram falta de insumos, capacitação e atenção às questões da urgência da soroterapia. Qual a sua opinião sobre isso?

Dr. Sinval Pinto Brandão Filho: De novo a necessidade de investimentos em ciência e em laboratórios públicos produtores de insumos para atender as demandas do Ministério da Saúde em oferecer à população vacinas e medicamentos nos serviços de Sistema Único de Saúde (SUS) e para o seu fortalecimento.

SBMT: Qual a lição que o 54º MedTrop deixa para um gestor com a sua experiência em organização de eventos científicos, inclusive internacionais?

Dr. Sinval Pinto Brandão Filho: Valeu todo trabalho dedicado e realizado para o sucesso de mais um evento da importância do MedTrop 2018 para a nossa comunidade científica, para a saúde pública, para o SUS e para o fortalecimento da SBMT.

SBMT: O senhor gostaria de deixar uma mensagem para a comissão organizadora, palestrantes e participantes do 55º MedTrop, que será realizado, em Belo Horizonte, no primeiro semestre de 2019?

Dr. Sinval Pinto Brandão Filho: Que dediquemos o mesmo esforço de trabalho e mobilização aos colegas de Minas Gerais para que tenhamos em Belo Horizonte uma edição tão especial quanto esta que aconteceu em Pernambuco.