Nota de falecimento: Prof. Dr. Joffre Marcondes de Rezende

Publicação: 27 de janeiro de 2015

O Professor. emérito faleceu aos 93 anos de idade, 64 deles dedicados à medicina

joffreÉ com imenso pesar que a Sociedade Brasileira de Medicina Tropical (SBMT) comunica o falecimento do Prof. Dr. Joffre Marcondes de Rezende, ocorrido no dia 26 de janeiro, na cidade de Goiânia. Prof. Joffre faleceu aos 93 anos de idade, 64 deles dedicados à medicina. Foi um dos fundadores da SBMT e da Sociedade Brasileira de História da Medicina. Sua trajetória confunde-se com a da Universidade Federal de Goiás (UFG), da sua própria Faculdade de Medicina, de seu Hospital das Clínicas e da sua Editora, entre outros. Em síntese foi um dos pioneiros do processo de construção da universidade no Centro-oeste do Brasil.

Com uma reconhecida atuação nas áreas clínica e de pesquisa, recebendo diversas honrarias, entre as quais a de Professor Emérito da UFG (1992) e a de Professor Honoris Causa da Universidade de Brasília (UnB) em 2006. Foi fundador e editor da “Revista Goiana de Medicina”, por 35 anos. É autor e coautor de vários artigos e capítulos de livros da área médica publicados no Brasil e no exterior. É também autor dos livros “Linguagem Médica”, “Vertentes da Medicina” e “À sombra do plátano”. E até antes de sua partida continuou escrevendo artigos sobre linguagem médica na “Revista de Patologia Tropical (órgão da Sociedade Brasileira de Parasitologia), o último deles será publicado no próximo numero desta revista, e ainda até mais, até momentos antes de sua partida manteve pessoalmente um site na internet sobre seus temas prediletos (http://usuarios.cultura.com.br/jmrezende).

O Professor Joffre deu grande contribuição ao estudo clinico e epidemiológico do megaesôfago e foi o primeiro pesquisador a afirmar em 1956 que sua causa é a doença de Chagas. O Professor propôs a classificação do megaesôfago em grupos, até hoje consagrada pela comunidade cientifica e recomendada pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

Na Faculdade de Medicina, foi sempre um incentivador do ensino da História da Medicina, reconhecido por ex-alunos pelo rabalho de formação pautado na ética, profissionalismo e honradez.