Indicada pela SBMT, Celina Turchi integra a lista tríplice a ser encaminhada ao MCTIC

Publicação: 13 de fevereiro de 2018

A epidemiologista coordenou o primeiro estudo que demonstrou a associação entre o Zika vírus e os casos de microcefalia em recém-nascidos

A pesquisadora Celina Turchi teve seu nome indicado em um processo de consulta às associações científicas afiliadas à Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), do qual participaram 77 entidades, para integrar uma lista tríplice a ser enviada ao Ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, para a escolha de um representante da comunidade científica, em cada uma das três grandes áreas (Ciências Humanas e Sociais; Biológicas e da Saúde e de Ciências Exatas; Terra e Engenharias), para compor o Conselho Deliberativo do CNPq (CD-CNPq).

Este Conselho é a maior instância de poder decisório do CNPq. Ele é formado pelo presidente da Instituição, pelo secretário-executivo do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) e representantes da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes/MEC), da Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP), do Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (CONFAP), das comunidades científica, tecnológica e empresarial e dos servidores do CNPq. O Conselho Deliberativo deve formular propostas para o desenvolvimento científico e tecnológico do País, apreciar a programação orçamentária e definir critérios orientadores das ações da entidade, aprovar as normas de funcionamento dos colegiados, a composição dos comitês de assessoramento e o relatório anual de atividades.

Para o presidente da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical (SBMT), Dr. Sinval Pinto Brandão Filho, a indicação da Dra. Celina Turchi, que coordenou o primeiro estudo que demonstrou a associação entre o Zika vírus e os casos de microcefalia em recém-nascidos, é mais do que justa e representa um importante impacto político para a comunidade de pesquisadores em medicina tropical e saúde publica e para a SBMT: “Foi uma grande satisfação para nós da SBMT indicarmos os nomes dos colegas Celina Maria Turchi Martelli, Mitermeyer Galvão dos Reis e Carlos Henrique Nery Costa, três renomados cientistas de reconhecida competência em suas áreas de atuação”, acrescenta.

De acordo com o Termo de Compromisso assinado pela Dra. Celina Turchi, a representante do Conselho Deliberativo do CNPq deverá informar à SBPC e ao Fórum das Associações Científicas Afiliadas sobre as questões importantes e polêmicas que serão deliberadas e levar em conta as eventuais manifestações destas entidades sobre elas.

O Presidente da SBPC, Ildeu de Castro Moreira, explica que recebeu do CNPq a solicitação de encaminhamento de listas tríplices para a substituição dos membros do Conselho Deliberativo e deu início a consulta, que foi realizada em duas etapas. Na primeira, as sociedades científicas enviaram a indicação de três nomes de sua área. A segunda etapa teve início em 30 de janeiro, quando foram enviados os nomes mais votados de cada área. O processo de indicação com o nome da pesquisadora Celina Turchi foi concluído em 8 de fevereiro.

O procedimento para a composição das listas tríplices de representantes da comunidade científica para o CD/CNPq foi estabelecido pelas sociedades científicas em 1999.

Saiba mais sobre Celina Maria Turchi Martelli

Pesquisadora visitante no Instituto Aggeu Magalhães (Fiocruz-PE) e bolsista de produtividade em pesquisa do CNPq PQ-1C, com projetos em arboviroses. É médica, com carreira acadêmica iniciada na Universidade Federal de Goiás (1986-2011). Tem mestrado em Epidemiologia na London School of Hygiene and Tropical Medicine e PhD em Saúde Pública na Universidade de São Paulo. É membro titular do Comitê de Assessoramento Saúde Coletiva e Nutrição do CNPq e membro do Instituto de Avaliação de Tecnologia em Saúde (IATS) e do ZikaPLAN consortium. Coordena o “Microcephaly Epidemic Research Group” (MERG) do Instituto Aggeu Maragalhaes/Fiocruz, que tem por objetivo investigar fatores biológicos, epidemiológicos e sociais relacionados à síndrome congênita de Zika.

Prêmios: The 2017 TIME 100, EUA; “Faz a Diferença”, jornal O Globo 2017, Rio de Janeiro; Cidadã Pernambucana, Assembleia Legislativa de Pernambuco, 2017; Medalha “Anhanguera” de Goiás, 2017; Nature’s 10, 2016; Prêmio Péter Murányi 2018.

 

Mais informações:

http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4787176D5