“Imagens, Micróbios e Espelhos” propõe explicar paradigmas de diferentes áreas do conhecimento a partir de conceitos estabelecidos na imunologia e neurociência

Publicação: 10 de janeiro de 2018

Uma das ideias centrais do livro é a de que o sistema nervoso possa operar mecanismos semelhantes aos do sistema imune, como as imagens internas de antígenos externos (como os dos micróbios), para representar o mundo e reconhecer objetos do mundo real

Mesmo com a proposta de constituir uma obra de divulgação científica, o livro propõe conceitos novos gerados no ambiente das reflexões e abordagem interdisciplinares dos autores

Lançado em dezembro, o livro “Imagens, Micróbios e Espelhos”, de autoria dos professores Cláudio Tadeu Daniel-Ribeiro e Yuri Chaves Martins, permeia os sistemas imune e neural. A ideia da obra começou a se definir quando uma equipe liderada pelo Professor Daniel-Ribeiro, do Instituto Oswaldo Cruz (IOC), Fiocruz, organizou um Doutorado InterInstitucional, em Belém, em parceria com a Universidade Federal do Pará (UFPA), Universidade do Estado do Pará (UEPA) e o Instituto Evandro Chagas (IEC) a partir de 2000. Em 2004, o Diretor do Núcleo de Medicina Tropical da UFPA, Professor Luiz Carlos de Lima Silveira, neurofisiologista que passou a integrar a equipe, convidou o Professor Daniel-Ribeiro para comentar o artigo “Neurociências no Brasil – Uma revolução tecnológica ao nosso alcance“, que publicaria, como Presidente da Sociedade Brasileira de Neurociências (SBNeC), no primeiro número da Revista “Neurociências” em lançamento no Brasil. Após elaborar seus comentários, o Professor Daniel-Ribeiro conta que mostrou o texto ao jovem Yuri Chaves Martins, seu ex-aluno do Programa de Vocação Científica da Fiocruz (desde os 14 anos), dizendo que havia gostado de escrevê-lo e que pretendia desdobrá-lo em pelo menos dois artigos: um sobre a evolução do Conhecimento e outro explorando a ideia do Uso de Imagens internas no sistema Nervoso, a ser publicado na mesma Revista. Com o Professor Lima Silveira, os três planejaram dois livros: o “Almanaque Reflexivo” e o que passaram a chamar de “O livrinho“, este, que acabou com 336 páginas, cinco capítulos, e comentários de 13 cientistas de diferentes áreas, inclusive do Dr. Lima Silveira, que faleceu em 2016 e teve a obra dedicada a sua memória.

O Professor Martins explica que a obra trata dos sistemas imune e nervoso abordando assuntos que vão do processo de criação de imagens mentais à evolução do homem e da evolução do conhecimento à formação de anticorpos durante a resposta imune. De acordo com ele, é difícil encontrar bons livros de divulgação científica brasileira e, por isso, procuraram fazer um que explicasse conceitos científicos para não-especialistas, nas diferentes áreas tratadas, para estudantes, e público em geral, quase sempre curioso e receptivo a informações embasadas em evidências científicas quando apresentadas em linguagem adequada e pouco assustadora aos leigos. “Queríamos, ao mesmo tempo, que a obra divulgasse algumas conclusões a que chegamos ao examinar paradigmas de diferentes áreas do conhecimento a partir de conhecimentos acumulados na imunologia e nas neurociências, mas com o benefício do rigor científico prevalente no meio Acadêmico. Ou seja, ainda que com a proposta de constituir uma obra de divulgação científica, o livro propõe conceitos novos gerados no ambiente de nossas reflexões e abordagem interdisciplinares”, ressalta.

Segundo o Professor Daniel-Ribeiro, a obra é de certa forma inovadora por explicar fenômenos de uma área do conhecimento utilizando conceitos consagrados em outra. Para ele, os paradigmas de uma área da ciência podem ser utilizados para ajudar o entendimento e avanço em outra diferente e utilizando essa abordagem o livro aponta algumas conclusões interessantes. Por exemplo, o Capítulo 1, analisa a evolução da ciência sob à luz da teoria do caos para sugerir que a ciência se comporta como um sistema caótico e que, por isso, é difícil prever como se comportará no futuro. “Utilizamos essa mesma abordagem quando propomos no Capítulo 3 que o sistema nervoso cria e evoluciona o seu repertório de imagens internas dos objetos do mundo real através do seu conjunto de vivências e a partir de um arcabouço de imagens primitivas inatas. Ou seja, a transposição é do conceito de imagens internas, proposto por Niels Jerne há quatro décadas, quando da criação da teoria de Rede idiotípica, um paradigma da imunologia já bem estabelecido, embora em bases muito diferentes para a dita ‘formação de imagens’. A proposta resultante foi a de que o sistema nervoso pode operar mecanismos semelhantes aos do sistema imune, que julgamos ser também um sistema cognitivo, para representar o mundo”, detalha.

Os autores comemoram a honra de que cientistas tão ilustres tenham aceitado apresentar ou comentar a obra: “Ler o que Marcelo Barscinski, Ex-Presidente da Sociedade Brasileira de Imunologia (SBI), Professor Emérito da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e membro das Academias Brasileira de Ciência (ABC) e Nacional de Medicina (ANM), e Sidarta Ribeiro, Professor Titular da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e Diretor do Instituto de Cérebro em Natal (ICE), escreveram sobre o livro nos enche de orgulho, mas também de segurança de que podemos passar adiante nossos trabalhos de compilação e análise crítica das informações, reflexão e proposição de novos conceitos e paradigmas”, aponta Daniel-Ribeiro. Já Martins frisa que Dina Czereznia, filósofa da Ciência na Fiocruz, médica e Doutora em Epidemiologia, reúne os predicados de conhecimento e rigor para filosofar com dados biológicos. “Lemos o seu posfácio, com tão distinta exaltação de nosso trabalho, como quem escuta sinfonia melodiosa. Acreditamos que isso indique que a obra possa ter excelente acolhida pelos especialistas das diversas áreas do conhecimento abordadas no livro”, complementa Daniel-Ribeiro.

Por fim os autores destacam que a maior lição a ser retirada da obra é o estímulo ao trânsito interdisciplinar; tentar convencer os jovens hiperespecialistas (resultado inevitável da forma atual, aprofundada e pouco abrangente, de se produzir conhecimento) a abrir uma janela para a transdisciplinaridade. Com a abordagem interdisciplinar da obra, os autores esperam promover o debate sobre os vários temas tratados entre especialistas de diversos campos do conhecimento e difundir os inúmeros paradigmas de diferentes campos da ciência discutidos no livro. Os interessados na obra podem adquiri-la na Livraria Virtual da Editora da Fiocruz, ou pelas livrarias e distribuidoras parceiras da editora Fiocruz do País. A lista completa pode ser conferida aqui. Em breve “Imagens, Micróbios e Espelhos” também estará disponível nas principais livrarias de todo do Brasil.