Brasil sedia conferência internacional sobre pesquisa em Malária

Publicação: 10 de abril de 2017

Pessoas de todas as partes do mundo, em especial de regiões endêmicas como sudeste asiático, América latina e certas regiões da África, devem participar do evento

Matéria evento Malária

Brasil foi escolhido por possuir área endêmica da doença, além de contar com muitos grupos de pesquisa na área

A cidade de Manaus (AM) vai sediar entre os dias 11 e 14 de junho de 2017, a “6th International Conference on Plasmodium vivax Research” (ICPVR), que tem como objetivo principal o intercâmbio de evidências inovadoras e de alta qualidade para fundamentar o processo de tomada de decisões voltadas para o controle da malária pelo Plasmodium vivax, por meio de uma rede de pesquisa colaborativa plural e abrangente. De acordo com o responsável pelo comitê organizador e presidente da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical (SBMT), doutor Marcus Lacerda, o evento vai reunir grupos de pesquisa de renome, com um diversificado leque de conhecimentos, do Brasil e do mundo. “Muitos já trabalham em estreita colaboração com as autoridades locais e internacionais, com o objetivo comum do entendimento da malária vivax”, ressalta.

A expectativa de público é de até 500 pessoas provenientes de todas as partes do mundo, em especial de regiões endêmicas como sudeste asiático, América latina e certas regiões da África. “São muitos os nomes importantes que teremos em nosso evento. Podemos citar, por exemplo, a presença do diretor do Programa de Malária da Organização Mundial da Saúde (OMS), Dr. Pedro Alonso. Assim como a presença do Dr. Nicholas White, professor de Medicina Tropical da Mahidol University na Tailândia, que vem dedicando suas pesquisas ao estudo da resistência do parasito às drogas antimaláricas, clínica e terapia da malária grave e ao conhecimento sobre a biologia das recaídas da malária vivax. Ainda, teremos a ilustre presença do Dr. Lucio Luzzatto, em que uma das suas maiores contribuições à ciência foi a clonagem da enzima humana glicose 6-fosfato desidrogenase em 1986, enzima de extrema importância na terapêutica da malária, e que, desde então, se dedica ao estudo molecular, clínico e epidemiológico da deficiência desta enzima”, adianta o doutor Wuelton Monteiro, membro do comitê organizador.

O doutor Lacerda conta que a escolha do Brasil como sede do ICPVR se deu em Bali, Indonésia, durante a realização da última conferência na área. De acordo com ele, a escolha se deve ao fato de o Brasil possuir área endêmica da doença (quase exclusivamente na região da Amazônia Legal), além de contar com muitos grupos de pesquisa na área. “Mas o mais importante é o fato do País ter um Programa de Controle de Malária que vem se destacado ao atingir grandes avanços na eliminação da malária falciparum e estar discutindo amplamente medidas para o controle e posteriormente eliminação da malária vivax.

Para participar do evento os interessados devem se registrar no site. Os valores de inscrição são de U$200.00 para estudantes de graduação ou pós-graduação e U$400.00 para profissionais e pós-doutorandos. “O prazo para envio de resumos encerrou dia 31 de março e somente serão aceitos trabalhos após este período (Late submission até 31 de maio) se o conteúdo apresentado for um avanço significativo no conhecimento desta infecção”, lembra a doutora Stefanie Lopes, membro do comitê científico. Ainda de acordo com ela, serão ofertados aos inscritos, gratuitamente, antes do início da Conferência (dia 11 de junho), mini-cursos abordando diferentes temáticas dentro da área do evento, que serão: Parasite Biology, Animal Models and Imaging Advances; Conducting Epidemiological Studies; Conducting Clinical Trials; Understanding Omics Data and Modelling Studies; Programmatic Challenges to Vivax Malaria Elimination e Scientific Publishing. Mais informações no site do evento.

Segundo a comissão organizadora, um evento deste porte e natureza permitirá a concepção de ferramentas e de estratégias inovadoras e acessíveis que podem acelerar o caminho para o controle e a eliminação deste importante problema de saúde pública; eliminando um fator importante que contribui ainda para o ciclo da doença e da pobreza que afeta as populações mais desfavorecidas. “Outro aspecto importante do evento é a capacitação de pessoal na Amazônia Brasileira, facilitando o intercâmbio de conhecimento com cientistas de renome internacional da área”, finaliza o doutor Lacerda.

Edições anteriores da ICPRV:

Bangkok, Tailândia, fevereiro de 2002- “Pesquisas sobre Malária Vivax: 2002 e além”

Rockville, MD, EUA, dezembro de 2005 – “Pesquisas sobre Malária Vivax: 2005 e além”

Canal do Panamá, Panamá, maio de 2009 – “Pesquisas sobre Malária Vivax: 2009 e além”

Barcelona, Espanha, maio de 2013 – “Pesquisas sobre Malária Vivax: 2013 e além”

Bali, Indonésia, maio de 2015 – “5ª Conferência Internacional sobre Pesquisa de P. Vivax”